Quem sou eu

A Música sempre fez parte da minha existência e não me lembro de ter havido um dia sem ela
Estudei Gestão e ao mesmo tempo fiz o curso de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional. Apesar de ter uma vida estável trabalhando na área da Economia, o bichinho da Música fez-me procurar a continuidade dos meus estudos no estrangeiro.
A primeira vez que ouvi falar de Musicoterapia foi na Holanda quando fazia o Curso Superior de Canto no Conservatório de Roterdão
Na altura dava igualmente aulas e dois dos meus alunos estavam relacionados com esta terapia: um aluno, com perturbação do espectro do autismo, tinha tido Musicoterapia quando era mais novo; e outra aluna estudava para ser musicoterapeuta.
Mestrado em Musicoterapia na Universidade Lusíada 
Quando voltei para Portugal, surgiu a oportunidade de fazer o mestrado em Musicoterapia na Universidade Lusíada. Concentrei-me na Musicoterapia Neurológica que aborda a forma como podemos utilizar a música e os seus componentes para reabilitar a função  cerebral. O estágio curricular foi realizado num programa de recuperação de acidentes vasculares cerebrais. Após receber o diploma do mestrado comecei a trabalhar com idosos em centros de dia e residências assistidas.
A semente tinha então sido plantada na minha mente e começava a germinar
Hoje em dia, para além da população idosa, que compõe a maioria dos meus clientes, realizo igualmente sessões de Musicoterapia com crianças com perturbação do espectro do autismo ou outras perturbações de desenvolvimento.
Não há dia que passe sem ver o poder da Música
Vejo-o no sorriso do que me diz que o dia da Música é o melhor dia da sua semana. 

Escuto-o naquele que já não produz discurso coerente e descobre que ainda consegue cantar as canções que fizeram parte da banda sonora da sua vida. 

Sinto-o na criança que vive no seu próprio mundo e de repente descobre alegria em tocar em conjunto com o outro. 

Assisto-o naquele que deixa de ter medo de andar apenas porque o faz melhor quando escuta Música que sincroniza com o seu passo. 

Confirmo-o no que encontra na música uma forma de relaxar e esquecer a dor. 

E em tantas outras situações.
Demorei 40 anos a perceber porque é que a Música era tão importante para mim e o que é que eu queria fazer através dela. Agora sei.
MUSICOTERAPIA
Conheça também 
o meu trabalho 
como SOPRANO
Paula Rosado, sessão Musicoterapia
Chocalho, sessão de musicoterapia,
Musicoterapia, sons e ritmos com instrumentos musicais
Idoso e chocalho, sessão musicoterapia, Paula Rosado
envelopephone-handset linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram